segunda-feira, novembro 10, 2008

Com o rumor

Like a rumor
Com o rumor da vida, mar adentro,
desperto universos de espanto
em cada murmúrio de búzio.

24/03/2008

Isabel Solano, in Entretextos, inédito, 2008.

Foto: Isabel Solano

domingo, novembro 09, 2008

O amor? Nem flor nem fruto

Voluptuous nature
MINUTO

O amor? Seria o fruto
trincado até mais não ser?
(Mas para lá do prazer
a Vida estava de luto...)

Fui plantar o coração
no infinito: uma flor...
(Mas para lá do fervor
a Vida gritou que não!)

O amor? Nem flor nem fruto.
(Tudo quanto em nós vibrara
parecia pronto a ceder...)

Foi apenas um minuto:
a fome intensa, tão rara!,
de ser criança, ou morrer...

David Mourão-Ferreira, in Jorge de Sena, Líricas Portuguesas, II Volume, Edições 70, 1983.
Foto: Isabel Solano

Luar na serra


Mais quente que a luz do dia
o luar já desaperta
o breve vestido de lã
que Novembro deu à serra
hoje cedo pela manhã.

Enquanto a noite avança,
vadia, em fogo brando,
o amor inebriando.

1/11/2008

Isabel Solano, in Entretextos, inédito, 2008.

Foto: Isabel Solano

Na minha boca


Vou-me encontrando por aí
nas bocas dos poetas
que leio em voz alta
para dizer à boca cheia
que sinto esses sabores
das palavras dos versos
das bocas dos poetas
na minha boca.

20/03/2008

Isabel Solano, in Entretextos, inédito, 2008.

Foto: Wise Wolf