sexta-feira, maio 01, 2009

Ainda a ponte


Se um dia secarem as palavras
do rio que só nós soubemos navegar
se acordarmos sós e despidos
das quimeras que já não podemos segurar
restará ainda a velha ponte
hirta e fria, abandonada,
sobre um leito desfeito, vazio,
e alguns versos soltos pelas margens
como as folhas de outono

de nós nada mais se ouvirá

15/04/2009

Isabel Solano, in Sem nós na garganta, inédito, 2009.
Foto: Isabel Solano