terça-feira, agosto 25, 2009

Lascívia


Em que pensas
quando mordes os bagos
da romã que te entrego
com a minha mão
inteira

28/04/2009

Bárbara Pais, in Regressos, inédito, 2009.
Foto: Isabel Solano

sábado, agosto 22, 2009

Ponto de suspensão


O homem do violino
toca à porta do mercado.
Transporta a gente que passa
ao som de outro destino.
Volteia o arco nas cordas,
acorda o povo que dorme
e que vem saciar a fome
de outras frases, musicais.
Pára o tempo,
cessa a máquina da urbe.
Tudo fica suspenso,
tudo.

18/11/2007

Isabel Solano, in Errância, inédito, 2007.
Foto: Isabel Solano

quinta-feira, agosto 20, 2009

(De)formar-se


na infinitude labiríntica de cada eu
há encontros
com espelhos que deformam

29/04/2009

Isabel Solano, in Esquecimento global, inédito, 2009.
Foto: Isabel Solano

quarta-feira, agosto 19, 2009

Mudez


Pelas espessuras do silêncio
é que vamos
olhos desvendados
tacteando nadas
Consumimos as palavras
todas
em frases loucas
Já não temos senão
algumas interjeições
as menos usadas
e duas ou três conjunções
das que não lembram ao diabo

17/11/2007

Isabel Solano, in Errância, inédito, 2007.
Foto: Isabel Solano

domingo, agosto 09, 2009

Sereno refúgio



(Texto já aqui publicado em versão audio, com alteração do título.)

SERENO REFÚGIO

Sei que a brancura dos dias é aparente
E que a noite se há-de deitar devagar
Entre nós, o oceano, o meu país cansado
E o teu, que ainda escuta ardente
Os rumores que lhe chegam do mar.

Sei que o vento que hoje sopra violento
Amanhã será brisa ou quase nada
E que as nossas vozes, que hoje cantam
Melodias ridentes, inventando sinfonias,
Hão-de ser lágrimas, como o orvalho é geada.

Sei que não crês no que te digo triste,
E me devolves um sorriso que diz que existe
Mais do que este constante movimento
Descendente na minha razão tão escura.

Sorris. Ou ris-te de mim, ainda não sei.

Mas sei que a toda esta imparável mudança
Resiste firme a tua esperança, sólida
A tua mão na minha. E que a tua voz,
Essa, nunca vacila quando a noite vem
E me anuncia a ternura sempre renovada
De um outro dia que se aproxima.

14.06.2009

Isabel Solano, in Sem nós na garganta, inédito, 2009.
Fotos: Isabel Solano