sexta-feira, novembro 23, 2007

Partidas desencontradas


Vivemos por ali uns anos até a maré chegar
Entornou-se o mar Salvaram-se destinos
Partidas desencontradas as nossas minha e tua
Quando regressou a calmaria aos céus e aos mares
já os lugares eram diferentes das nossas chegadas
Agora rumamos em linhas incertas
e é quase certo que nunca se vão cruzar
porque o sol brilha mais se ninguém o achar

Bárbara Pais, In Vida Veritas, inédito, 2007
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: