quarta-feira, novembro 07, 2007

Daniel Faria (4)

Das Nascentes, Dos Líquidos, Do Inesgotável, Do Sangue, Das Inúmeras Águas, Do que Sangro, Dos Ciclo das Intempéries... bastariam enquanto poema estes títulos das divisões do livro "Dos Líquidos", de Daniel Faria. Mas os líquidos brotam em muitas dezenas de poemas. Estes líquidos encontram-se reunidos à restante obra publicada e ainda a alguns poemas inéditos de Daniel Faria, no volume Poesia, com prefácio de Vera Vouga. Um tesouro.


Ainda não sei ouvir a lâmina
Os gumes inumeráveis com que fere, cura, limpa, [penetra
Os ouvidos como a espada do anjo o coração primogénito

A lâmina abre passagem e águas no deserto daqueles que [escutam
Ainda não sei ouvir os ventos múltiplos que a sussurram
Nos quatro cantos cardeais das direcções que mudam


Daniel Faria, in "Dos líquidos", Poesia, Quasi, 2003.

Sem comentários: