sábado, novembro 17, 2007

Da poderosa luz morta

"Não sei muito bem porque se gosta mais de um poeta do que de outros", dizia hoje João Vieira na coluna O Livro da Minha Vida da revista do jornal Sol. Dizia-o referindo-se ao livro da sua vida, O Livro de Cesário Verde. E é isso mesmo, também não sei porque se gosta mais de uns que de outros, mas Gastão da Cruz é seguramente um dos que gosto mais.


Poderosa luz morta te despedes
da poderosa luz tu me despeço
da poderosa luz morta te peço
recomeço da morte o que me pedes

Corpo da morte certo não pertence
este consumo te da morte e esse
da morte poderoso fogo imenso
desoladora boca mas pertence-te

esta separação corpo deserto

Gastão Cruz, in "Escassez", Poemas Reunidos, Publicações Dom Quixote, 1999
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: