segunda-feira, novembro 12, 2007

Rosa

Conheci-a na Feira do Livro deste último Verão. Na passagem obrigatória pela banca da Assírio & Alvim, desfolho um nome desconhecido. E não foi preciso muito para a trazer para casa comigo, esta Superfície de Maria Ângela Alvim. A beleza do simples, despretencioso, mas de sensibilidade, clareza e lucidez invulgares. Digo eu, apenas como o sinto, que não sou ninguém nem tenho pretensões a fazer crítica literária. Apenas como o sinto.
Para além de Superfície, o único livro publicado durante a vida (curta, muito curta) da poetisa brasileira, o volume da Assírio & Alvim contém ainda a Barca do Tempo, Outros Poemas e Poemas de Agosto.


Há uma rosa caída
Morta
Há uma rosa caída
Bela
Há uma rosa caída
Rosa


Maria Ângela Alvim, in "Superfície", Superfície. Toda a Poesia, Assírio & Alvim, 2002
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: