sexta-feira, novembro 23, 2007

Nas intermitências das folhas


Caminho nas intermitências das folhas
em ruas frias mas não desertas
coloco o chapéu na cabeça da memória
para que não enregele
e continue a saber de cor
a história que me traz aqui
às intermitências das folhas
onde os meus passos estalam
todos os relógios

é tempo de porvir
ainda que o vento não sorria
só porque a luz da tarde
inebria

Bárbara Pais, in Não Sei Falar de Mim, inédito, 2007
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: