terça-feira, janeiro 22, 2008

De místicos perfumes de Lisboa

Descubro agora Ana Luísa Amaral, começando pelas Coisas de Partir. Descubro ainda que há muito mais nela a descobrir, calculo que talvez perto da dezena de livros de poesia publicados desde 1990. Que boa descoberta, e ainda só no início.
A foto também foi tirada de uma esplanada entre lençóis. E o que eu gosto de ser lisboeta, por esta e por outras!


OUTRAS PAISAGENS

À distância de
antenas
(de televisão, de insectos,
de místicos perfumes
e entradas)

As roupas penduradas
na varanda (lençóis em
sugestão são mais
que dez)

Poeira levantada
no meio desta Lisboa
em frente da esplanada
onde estou

e à distância nem sei
se da infância
- ou erro,
te escrevo e desfaleço

de amor.
E trinta e oito graus
à sombra

Ana Luísa Amaral, in "lua de papel", Coisas de Partir, Gótica, 2001
Foto: Isabel Solano

1 comentário:

Chiara Luna disse...

Lua de papel que lindo nome.
Tão símbólico.
A lua é fecunda, ilumina sem ofuscar,trazas lembranças e nostalgias necessárias.
Coisas de partir.
Boa noite.
Volto para casa e vou lendo esta maravilha.