sexta-feira, janeiro 25, 2008

É pena a morfina adverbial






















DIAGNÓSTICO, POSOLOGIA, ADMINISTRAÇÃO

Finalmente curei-me. Os nomes em que assento
a frase são só nomes de figuras sem forma.
É pena os advérbios, mas o meu objectivo
é reduzir de vez aplicação e norma.

Finalmente curei-me. Isso nota-se até
na tentativa (quase) de adjectivos ausente.
É pena os advérbios, mas qualquer terapia
pressupõe um transfer, mesmo que finalmente.

Por cavalos sem rédeas de qualificação,
neste pós-operatório movimento de agora
sonho um espaço e um tempo de fala e amplidão.

E na totalidade de uma cura verbal,
vejo-me em prognóstico a escrever o futuro
sem dependência da morfina adverbial.

Ana Luísa Amaral, in "imagens", Coisas de Partir, Gótica, 2001
Foto: Isabel Solano

1 comentário:

Chiara Luna disse...

Coisas de partir...
Algumas de levar para este lado do Atlântico.