quinta-feira, janeiro 24, 2008

É preciso muito pouca luz para definir um rosto

Eu vou ao encontro de Al Berto porque ele vem sempre ao meu encontro. Amo este poema.
O rosto é da minha amiga BB.






















LEICA

os dedos são o contacto
entre o vidro onde escrevo e o interior do corpo

cada um de nós espreita por uma janela
surpreendemo-nos nesse espaço sem tempo
do que está e não está iluminado

a ponta do feltro risca a pálpebra molhada de tinta
as palavras surgem confusas... click!
a intensidade das luzes e por trás delas o olhar
na penumbra rente ao chão aproximas-te do vidro
focas disparas... o ruído da leica acorda-me
para o silêncio povoado desta sala vazia

é preciso muito pouca luz para definir um rosto
poucas palavras para que o fascínio desse segundo
torne possível dormir dentro da máquina fotográfica

Al Berto, in "Paulo Nozolino / 4 visões", O Medo, 2ª ed., Assírio & Alvim, 2000
Foto: Isabel Solano

2 comentários:

Chiara Luna disse...

Quanta beleza neste espaço.
A escolha de Isabel,a foto da BB e estas palavras que formam, dão forma, reformam e me deixam perplexa.
A vida, tem sido generosa.
Boa tarde!

BB (O.ö) disse...

Tão bom ver a minha imagem a decorar tão belo poema....
Muito Obrigada pela honra Isabel!
Beijinhoooss***