quarta-feira, janeiro 02, 2008

Secreta navegação

Sophia nunca esteve entre as minhas preferências poéticas. Ando agora a lê-la com mais cuidado e a render-me à evidência da beleza elegante dos seus versos.


Como um oásis branco era o meu dia
Nele secretamente eu navegava
Unicamente o vento me seguia.

Sophia de Mello Breyner Andresen, in No Tempo Dividido, Caminho, 2003
Foto: Isabel Solano

1 comentário:

Chiara Luna disse...

Tenho um livro dela.
Mar.
Gosto muito.
Estava na página75
Os navegadores.
Vim até aqui e lá estava ela novamente:-)