quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Do mais fundo cinema íntimo


A PALAVRA-ESCRITA

A palavra-escrita
é um labor arcaico:
sulca enigmas
venda e desvenda
o sentido do gesto

É uma imagem detida
recolhida do mais fundo cinema íntimo
onde o verdadeiro
é um ser invisível

O cinema do mundo está aí
onde houver ilusão
onde houver vontade de ver
mesmo que seja só o nada

Ana Hatherly, in O Pavão Negro, Assírio & Alvim, Lisboa, 2003
Foto: Isabel Solano

1 comentário:

Duran disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.