quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Dor auto-insuficiente


Porquê tanta procura de ti mesmo,
Tanta dor, tanta ferida por sarar,
Tanta palavra à solta nesse mar
Da alma, em inquieto sofrimento?

Se a dor sozinha por vida tens tomada,
Só por viva a alma te fazer sentir,
É porque da paixão não sabes nada.

Por compaixão por ti deixo-te ir...

Luísa Veríssimo, in Da Estranheza, inédito, 2006
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: