sexta-feira, junho 06, 2008

Onde?


Onde estão as palavras
para dizer o silêncio dos homens
que calam feridas de olhos abertos?

Onde estão as palavras
para dizer o sono alucinado
dos que guardam vigílias?

Onde estão as palavras
que me não diz o vento
mas que ouço e guardo sempre?

31/05/2008

Isabel Solano, in Entretextos, inédito, 2008.

Foto: Isabel Solano

Sem comentários: