terça-feira, agosto 05, 2008

Um fogo equivocado


Um dia acendeu-se um fogo equivocado
e foi assim que eu ouvi contar o caso:

Fim de tarde junto à estrada florestal.
A caruma pensa que uma ponta de cigarro
que vê chegar junto a si, lançada de um carro,
está ainda em brasa quente, incandescente.
E esta, por sua vez, ainda tonta da queda,
mais tonta do que já era, vê no olho da caruma
o lume que já perdera sem saber.

Assim, tanto engano em área tão pequena
só podia dar em coisa bem funesta.
Ali mesmo logo se ateou um fogo equivocado
que fez arder boa parte da floresta.

Março/2007

Rui de Morais, in Do Riso da Insónia, inédito, 2007
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: