quarta-feira, setembro 10, 2008

Acordar


desnudo palavras ainda no ouvido.
dum tempo longe, quando julgava
conhecer-lhes o sentido.
acordaram-me o relógio
(aos gritos) (em sussurros).
desfeitos os muros da memória,
fizeram-me embater em mim,
de ímpeto brusco. mas nem assim
eu conheci o fim da história.

13/3/2008

Bárbara Pais, in Não Sei Falar de Mim, inédito, 2008
Fotografia: Isabel Solano

Sem comentários: