sexta-feira, janeiro 09, 2009

Perco-me entre as laranjas


I

Podia regressar hoje ao outro mar
e passar o laranjal,
perdido o rumo incerto das palavras.
Mas quero ficar entre as copas redondas,
alinhadas em verdes e amarelos,
unindo meticulosamente os gomos.

Podia chamar o verbo, ganhar tempo
para encontrar o mapa
escondido pelas copas.
Mas vou verter o sumo dos frutos,
doce, sobre os pés cansados,
alimentando assim o projecto de andar.

Podia até dizer-te.
Se a língua desatasse na boca
algum fogo.
Mas perco-me entre as laranjas.

03/01/2009

Isabel Solano, in "Em tons de laranja", Até ao lugar onde - 30 poemas e 1 mapa, inédito, 2009.

Foto: Isabel Solano

2 comentários:

num relance disse...

belíssimo

isolano disse...

Obrigada, Pedro! Volte sempre.