sábado, julho 11, 2009

O tradutor de silêncios


(ESCRE)VER-ME

nunca escrevi

sou
apenas o tradutor de silêncios

a vida
tatuou-me nos olhos
janelas
em que me transcrevo e apago

sou
um soldado
que se apaixona
pelo inimigo que vai matar

Mia Couto, in Raiz de orvalho, Caminho, 1999
Foto: Isabel Solano

Sem comentários: